top of page
  • Foto do escritorTiago Morim

Custo Benefício: On-Premise X Cloud Computing

Atualizado: 15 de jul. de 2022

Com a inovação da tecnologia e da internet que teve sua utilização comercial iniciada quase no fim dos anos 90 aqui no Brasil, a única opção viável que as organizações tinham era o uso de servidores instalados em sua própria empresa - On-Premise - e assim foi por algum tempo. A partir dos anos 2000 a Cloud Computing começa a tomar força no mercado internacional e começa a ser oferecida comercialmente e isso trouxe a possibilidade das empresas e organizações escolherem hospedar seu softwares em On-Premise ou na Nuvem.


Mas quais são os benefícios de cada opção?


Bem esse é o ponto, ambas tem benefícios próprios, por isso hoje na Newfront trabalhamos com as opções de nuvem privada e nuvem híbrida, onde as empresas podem definir em conjunto com nossa equipe o que é mais funcional para o seu negócio, mas vamos a explicação das diferenças entre On-Premise e Cloud Computing.


Implementação


- On-Premise: Processo é feito totalmente local, dentro da infraestrutura de TI. Sendo assim a empresa é responsável por manter toda a infraestrutura, hardware, Software, Licenças e equipe de suporte interno ou terceirizado.


- Nuvem: Isso depende um pouco do modelo de cloud, mas os recursos são normalmente nas instalações de quem prove o serviço, mantidos e gerenciados pelo provedor, possibilitando com que as empresas possam acessar os recursos e usa-los a qualquer momento que desejarem.


Segurança

- On-Premise: Algumas empresas que trabalham com a alta manipulação de dados, como bancos por exemplo, muitas vezes optam pelo On-Premise para poder manter um altíssimo nível de segurança e privacidade. Mas esses processos têm desvantagens, como um alto custo de implementação e manutenção. Mas mesmo para empresas que trabalham com serviços menos sensíveis, muitas vezes o processo de segurança é bastante trabalhoso e caro, pois necessita de ativos como Firewall, Antivírus, VPNs entre outros recursos que terão que ser custeados e mantidos pela empresa.


- Nuvem: A segurança na nuvem parte por dois pontos, dependo do tipo de serviço de cloud adquirido, a empresa ou o provedor pode ser o responsável pela segurança dos serviços hospedados, para entender melhor essa parte, recomendo dar uma lida em nossa outra matéria referente "O que é IaaS, PaaS e SaaS?"


E por fim Custos


- On-Premise: Inicialmente para a empresa, manter local pode parecer mais barato, se ela já tiver sua infraestrutura de TI em produção, mas ao longo do tempo, devido a depreciação de software e principalmente hardware, licenciamento, sistemas de segurança, energia, espaço e equipe especializada em TI os custos são bem altos e contínuos. Muitas vezes ao pensar que esse modelo é mais barato a curto prazo, as empresas acabam ficando com parque de máquinas e softwares antigos e acabam ficando obsoletas no mercado, por esse motivo, ao adotar esse método é muito importante sempre manter a atualização de todo o ambiente para manter o desempenho e a competitividade no mercado.


- Nuvem: Nesse caso, a empresa paga pelo recurso, valores fixos e controlados, pois toda a infraestrutura e manutenção fica por responsabilidade do provedor. Ou seja, quanto mais recurso sua empresa utiliza, maior será o valor pago, mas facilmente a empresa pode rever os recursos contratados e diminuir ou aumentar os mesmos, podendo ter uma flexibilidade em suas contas.


Para finalizar essa ideia, uma analogia bem simples referente ao custo entre On-Premise e Cloud Computing seria um iceberg. Onde inicialmente no modelo On-Premise você pode ver só o valor do software e licenças contra as tachas de assinatura. Mas abaixo de tudo isso temos todo o que foi dito acima.

Então assim é sempre avaliar o seu negócio como um todo, no curto, médio e longo prazo para manter sua empresa sempre competitiva no mercado.



Tiago Morim | Especialista em Soluções de Cloud e TI | NewFront


Entre em contato conosco para saber mais.

Commentaires


bottom of page